Lingua   

Em Trás-os-Montes à tarde

Adriano Correia de Oliveira
Lingua: Portoghese



Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Assim falou um pastor
Por entre matos e urzes
Nas cercanias da herdade
Onde a esperança se faz vida
Onde o trigo é testemunha
Da vontade colectiva
Em Trás-os-Montes à tarde
Na Herdade dos Cortiços.‎

Trigo que nasce da terra
No fim de muita canseira
Como um filho é gerado
No ventre da companheiura
E se o trigo é um filho
Da terra que o fez medrar
Não pode mandar na terra
Quem a terra não amar.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Assim falou um pastor
Na tarde que adormecia
Assim falou acordado
Com muita sabedoria
Da terra nasce o centeio
Nasce o vinho nasce o grão
Com o trabalho do homem
A terra se faz em pão.‎

Homem que manda no homem
Como quem manda no gado
Não cabe aqui entre a gente
Terá de ir pra outro lado
Aqui quem manda na terra
É vontade colectiva
Em Trás-os-Montes erguida
Na Herdade dos Cortiços.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎

Um homem nunca devia
Mandar noutro homem
Todos juntos é que vamos
Mandar na terra.‎


Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org