Lingua   

Recuso-me

Luís Cília
Lingua: Portoghese


Ti può interessare anche...

Sei que me esperas
(Luís Cília)
Bairro de lata
(Luís Cília)
El pueblo unido jamás será vencido
(Quilapayún)


‎[1967?]‎





Versi del giornalista e poeta antifascista portoghese ‎‎João Apolinário (1924-1988), ma ‎ignoro da quale raccolta siano tratti.‎
Musica di Luís Cília, dall’album intitolato "La Poésie Portugaise de nos jours et de toujours", edito ‎in Francia nel 1967.‎
Recuso-me a ficar amolecido
Tragicamente cilindrado
E muito antes de lutar - vencido
E muito antes de morrer - violado.

Recuso-me ao silêncio e à mordaça
Serei independente, livre e exacto
A verdade é uma força que ultrapassa
A própria dimensão em que combato.

Recuso-me a servir a violência
Embora a minha voz de nada valha
Mas que me fique ao menos a consciência
De que tentei romper esta muralha.

Recuso-me a ter medo e a estiolar
Na concha dos poetas sem mensagem
Que me levem o corpo e a coragem
Mas que fique esta voz para cantar.‎

inviata da Bartleby - 22/2/2012 - 11:32



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org