Lingua   

Canção da guerra

Companhia da Bruma
Lingua: Portoghese



tradicional / arrg. Paulo Barrosa
Canto: Márcia Gomes / Guitarra: Paulo Barrosa

Canção da guerra
Quando meu pai foi pr’à guerra
Fiquei sozinha na aldeia
Quando meu pai foi pr’à guerra
Fiquei sozinha na aldeia

Agora estou intimada
Para ir para enfermeira
Agora estou intimada
Para ir para enfermeira


Para ir para enfermeira
Para ir curar os f’ridos
Para ir para enfermeira
Para ir curar os f’ridos

Ai Jesus, quem há-de ouvir
Tanto ai, tanto gemido
Ai de mim, quem há-de ouvire
Tanto ai, tanto gemido


Tanto ai, tanto gemido
Como nesta rua vai
Tanto ai, tanto gemido
Como nessa rua vai

Tanta mulher sem marido
Tanto menino sem pai
Tanta mulher sem marido
Tanto menino sem pai


Tanto menino sem pai
Quem o há-de governar(e)
Tanto menino sem pai
Quem o há-de governar(e)

Ó guerra. ó maldita guerra
Tu não chegas a acabar(e)
Ó guerra. ó maldita guerra
Tu não chegas a acabar(e)


Tu não chegas a acabar
Nunca chegas a ter fim
Tu não chegas a acabar
Tu não chegas a ter fim

Ó guerra. ó maldita guerra
Inda me levas a mim
Ó guerra. ó maldita guerra
Inda me levas a mim

inviata da Paulo Barrosa - 15/9/2021 - 16:33



Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org