Lingua   

Canção que ninguém ouviu

Fernando Lona
Lingua: Portoghese



Há certos dias nos dias da vida
Que a gente faz o que não quer fazer
Que a gente canta o que não quer cantar

Eu sou cantor, por isso submisso
Por compromisso que eu assinei
Hoje meu canto é por força de lei
Hoje meu canto é por força de lei

Por meu contrato canto meu sucesso
Enquanto isso vem outra nação
Um povo inteiro por justa razão
Junta o seu canto ao canto do cantor
E juntos cantam a mesma canção

Acinzentou o dia pelo mundo
A luz do palco ilumina o rosto
Da humanidade em seu divertimento
Da humanidade em seu divertimento

E pouco sabem que neste momento
Houve por gosto de outros irmãos
Matar um homem, seu pensamento
Matar um homem, seu pensamento

Ouço acordes da introdução
Entro no palco e canto a canção
Canção azul pra divertir a vida
Canção de sul, de norte, pouco importa
Contanto seja por muitos querida

De mãos aflitas vem a recompensa
Pela beleza da canção cantada
Canção vivida, bem interpretada
Canção vivida, bem interpretada

Corpo inclinado em agradecimento
As palmas cessam, o povo fica atento
Estranhamente ainda estou curvado
Estranhamente ainda estou curvado

E de repente rompe o silêncio
Com a voz de um canto que ficou calado
Quando eu cantava a canção citada
Mudei de tom e somente cantei
O hino livre que meu ódio fez

De que vale meu canto e a flor
Se meu canto não tem mais razão
Se a flor que nasceu pra ser livre
Foi cortada com sangue e canhão

Acinzentou o dia pelo mundo
A luz do palco ilumina o rosto
Da humanidade em seu divertimento
Da humanidade em seu divertimento


Pagina principale CCG

Segnalate eventuali errori nei testi o nei commenti a antiwarsongs@gmail.com




hosted by inventati.org